Guia da separação » Religião » Notícias » Infocultural

Guia da separação

Religião - 12/06/2014

Comemora-se, neste dia 12 de junho, o Dia dos Namorados. A data, apesar de ser muito antiga, não é bem definida. No Brasil, parece ter sido fixada neste dia por ser véspera do dia de Santo Antônio, o santo casamenteiro e o santo defensor dos valores da família. Em muitos países, a data é celebrada no dia 14 de fevereiro, dia de São Valentim, o santo que realizava muitos casamentos.

UMA REVISTA brasileira traz o sugestivo título: Guia de Separação. Diz o artigo: “O fim de um matrimônio é sempre doloroso. Além de mágoas, decepções, também são muito comuns as brigas pela guarda dos filhos, a pensão alimentícia e a divisão dos bens. Se o casal não for capaz de entender quem fica com o quê, caberá à Justiça decidir sobre cada uma destas questões”.

TUDO isso é certo. Quando a vida em comum se torna impossível, a separação deve ser feita de maneira correta e justa para todos os envolvidos. O que chama a atenção é a preocupação da revista em estabelecer um Guia de Separação. Trata-se de um roteiro para quem busca este caminho. É realmente fácil decidir quem fica com o apartamento, o automóvel, os pratos, a casa de praia, o televisor. A situação complica-se quando entra em questão: Quem fica com os filhos, ou os filhos ficam com quem?

MUITO melhor que tratar essas questões, seria preparar bem o casamento. Quando é praticamente impossível remediar, é muito melhor prevenir. Prevenir, no caso, significa uma séria e criteriosa preparação  para o casamento, respeitando as etapas, os sentimentos e a individualidade de  cada um. O Evangelho fala em construir sobre a rocha. O namoro e o noivado são etapas para elaborar juntos um projeto a dois. Muitas vezes, não existe um projeto a dois, mas dois egoísmos morando na mesma casa.

NA CELEBRAÇÃO do “Dia dos Namorados”, convocamos os jovens para que construam suas vidas sobre a rocha, dando estabilidade ao casamento. Muitos casam, apostando na subjetividade e na busca da satisfação. Isto é construir sobre a areia. Depois se torna necessário instituir o Guia da Separação

O TEMPO de namoro e de noivado é um tempo sagrado. É tempo de conhecer e deixar-se conhecer. É tempo de avaliar e deixar-se avaliar. Quando o namoro for responsável, a vida a dois será uma história de amor. Mais do que querer a pessoa certa, o candidato precisa ser a pessoa certa. Que Deus abençoe todos os namorados!

+ Itamar Vian

Arcebispo Metropolitano

di.vianfs@ig.com.br

Navildo Vian
© Todos os direitos reservados. 2014.
Email: infocultural@infocultural.com.br
Painel Administrativo