Câmara escolhe os destaques da imprensa que receberão o Troféu Arnold Ferreira Silva 2019 » Política » Notícias » Infocultural

Câmara escolhe os destaques da imprensa que receberão o Troféu Arnold Ferreira Silva 2019

Política - 27/11/2019

A Câmara Municipal de Feira de Santana, na manhã desta terça-feira (26), escolheu os profissionais e veículos de imprensa que se destacaram na cobertura das atividades legislativas deste ano. Os homenageados receberão, mediante sessão solene, o Troféu Arnold Ferreira Silva, no dia 12 de dezembro, a partir das 09 horas, no plenário da Casa da Cidadania.

No que concerne à TV Aberta, a TV Subaé foi a mais votada. Já a jornalista Madalena Braga, do referido veículo, foi eleita a melhor repórter do segmento.

A TV Caldeirão foi a escolhida na categoria TV Web, e Josse Paulo Pereira Barbosa, o Paulão, do veículo supracitado, como melhor repórter do segmento.

A Rádio Sociedade News FM foi eleita na categoria Rádio. O repórter Framário Mendes, da Rádio Subaé AM, receberá o Troféu como destaque do setor.

Com relação à mídia impressa, o jornal diário Folha do Estado foi o veículo mais votado. O jornalista Walace Almeida, do referido jornal, foi eleito o melhor repórter da imprensa.

A votação no segmento jornalismo na internet contemplou o site Bahia na Política. Já Anderson Dias, do site Política in Rosa, foi eleito o melhor repórter da categoria.

No segmento Rádio Digital, a escolhida foi Rádio H1. O repórter Edicarlos Silva, o Bomba, do referido veículo, foi o mais votado na categoria citada.

 

João Bililiu enaltece o Cadastro Municipal de Pessoas Desaparecidas

 

Ao discursar na tribuna da Câmara Municipal de Feira de Santana, durante a sessão ordinária desta terça-feira (26), o vereador João dos Santos (Cidadania) mencionou a Lei da Política Nacional de Busca de Pessoas Desaparecidas e lembrou o seu Projeto de Lei que instituiu o Cadastro Municipal de Pessoas Desaparecidas, enaltecendo a ideia de facilitar a busca e reconhecimento dos cidadãos desaparecidos.

A Lei nº 13.812/19, publicada pelo Diário Oficial da União em março deste ano, instituiu a Política Nacional de Busca de Pessoas Desaparecidas e criou o Cadastro Nacional de Pessoas Desaparecidas, com propósito semelhante ao da Lei Municipal nº 3738, de autoria do vereador João Bililiu, aprovada em 2017 por seus pares, que garantiu a criação do Cadastro Municipal de Pessoas Desaparecidas. Ambas têm o objetivo de dar agilidade e efetividade na localização de pessoas que tenham desaparecido em território municipal ou nacional, por meio do cadastro prévio.

Orgulhoso, João Bililiu manifestou entusiasmo em ajudar na união das pessoas desaparecidas com os seus familiares que suportam “a triste realidade de não ter notícias de uma pessoa querida pelo intervalo de semanas, meses ou longos anos”. Ele também relatou que, a partir da efetivação da Lei de sua autoria, muitas pessoas já foram localizadas.

 

 

Zé Filé cobra conclusão de obras municipais

 

No uso da tribuna, na sessão ordinária desta terça-feira (26), na Casa da Cidadania, o vereador de oposição Zé Filé (PROS) mais uma vez criticou o Governo Municipal e cobrou obras iniciadas e não concluídas.

“Vejo a tristeza das pessoas e me recordo bem quando Rui Costa esteve em Feira para anunciar a construção da policlínica regional, do mesmo jeito o Município anunciou a construção do CMDI. A policlínica já tem anos funcionando e o CMDI não saiu do papel, que seria construído com a emenda do ex-deputado federal Irmão Lázaro. Foi R$ 1 milhão, que não saiu. É uma tristeza esse Governo quando é para beneficiar o povo”, pontuou Zé Filé.

E continuou. “Quando chega lá no CMDI da Maria Quitéria é uma caixinha de fósforo, as pessoas apertadas em busca de atendimento. Temos que lamentar um Governo que já tem quase 20 anos no poder e nossa cidade continua abandonada. Se eu administrasse mais de R$ 1 bilhão por mês, faria muito mais. Mas, os líderes acham que o Governo fez muito. Quero saber se o povo acha isso também. A rua Júpiter, por várias vezes esteve no pacote de obras e nada acontece. É uma tristeza olhar para trás e ver que o que eles falam aqui, quando viram as costas nada acontece”, afirmou.

Em aparte, a vereadora Gerusa Sampaio (DEM) garantiu que as obras do CMDI já foram iniciadas. “O CMDI tem avançado nos exames de imagem. Trabalhei sete anos no HGCA e no ambulatório externo tínhamos um grande suporte dado à Prefeitura, mas foi extinto. Seria bom se esse serviço voltasse”, disse.

De volta com a palavra, o oposicionista garantiu que este serviço ainda acontece no HGCA. “Contudo, da maneira que eles vão nessa construção do CMDI só vai ficar pronto lá para 2038. A feirinha do Feira X já tem quanto tempo que as obras começaram e não terminaram? A passarela Conceição Lobo, na Cidade Nova, que também já começou a reforma, ainda não terminou. Espero que ano que vem o povo eleja um prefeito que saiba administrar nossa cidade e nossos recursos”, avaliou.

Para finalizar, Zé Filé informou que secretários visitaram o campo de futebol do bairro Viveiros. “Ontem, depois de tanto eu falar, os secretários Justiniano e José Pinheiro foram visitar o campo de futebol do bairro Viveiros. Agora secretários, espero que seja feito algo ali porque as reclamações não são de hoje’, findou.  

 

 

Roberto Tourinho cobra fiscalização das calçadas

 

 

A situação das calçadas de Feira de Santana foi o mote do pronunciamento do vereador Roberto Tourinho (PV) na sessão ordinária desta terça-feira (26), na Casa da Cidadania. O parlamentar cobrou do poder público fiscalização.

O edil ressaltou que, de acordo com o Código de Obras do Município, “é de responsabilidade dos proprietários a manutenção e conservação das calçadas”. Contudo, “temos acompanhado verdadeiras aberrações dos proprietários no uso dos mesmos e em estágio crescente”.

Tourinho pontuou que algumas pessoas colocam barreiras metálicas ou de concreto nas calçadas, enquanto outras realizam – sem autorização - o rebaixamento de guias (meio-fio), para transformar o espaço em estacionamento privado. 

“As pessoas muitas vezes colocam trilhos de trem para evitar que carros estacionem. Outras pessoas fazem o rebaixamento ou aumentam as calçadas, causando sérios problemas na cidade”, analisou.

Ele explicou que as calçadas são espaços públicos e devem ser livres para a circulação de pedestres. E lembrou que o número de idosos no Brasil está aumentando.  “Precisamos facilitar e não dificultar a vida dos idosos. Já temos, em Feira de Santana, inúmeras dificuldades para pessoas cadeirantes e que possuem dificuldades de locomoção. E o poder público tem fechado os olhos para esse problema”, atentou.

“Estão privatizando as portas das lojas, as calçadas. É cada vez maior a quantidade de pessoas colocando cones e cavaletes, para benefício próprio, em detrimento da população. O poder público não pode aceitar. A Prefeitura - através das secretarias de Meio Ambiente, de Desenvolvimento Urbano e Desenvolvimento Econômico - deve fazer ações para que as calçadas sejam liberadas e as pessoas possam andar”, reivindicou.

Em aparte, o vereador Antônio Carlos Passos Ataíde – Carlito do Peixe (DEM) esclareceu que o empréstimo realizado pela Prefeitura de Feira de Santana para revitalizar o centro da cidade, inclui melhorias nas calçadas. E disse sobre os lojistas que ocupam esses espaços irregularmente “após a revitalização, isso não vai mais existir”

  “Essas ações serão no centro. Estou falando na cidade como um todo”, respondeu Tourinho. E completou que recebeu a reclamação de um morador do bairro Cidade Nova, ontem. “Em alguns caminhos do bairro, para evitar que estacionem no passeio, as pessoas colocam trilhos nas calçadas”, contou. “Os transeuntes precisam disputar espaço com carros e motos, colocando a vida em risco. A Prefeitura de Feira de Santana não pode continuar fechando os olhos. As secretarias precisam realizar ações para retirar essas barreiras e notificar os proprietários”, finalizou.

 

“Enquanto a oposição reclama, Colbert trabalha”, declara Lulinha

 

“Cadê o acesso do Viveiros?”, questionou o vereador Luiz Augusto de Jesus-Lulinha (DEM), em pronunciamento na tribuna da Câmara Municipal de Feira de Santana, durante a sessão ordinária desta terça-feira,26, ao rebater as críticas feitas pelo vereador Zé Filé (PROS), dando conta de obras abandonadas pelo Governo Municipal em diversos bairros da cidade, em especial o bairro Viveiros.

“Falar das obras municipais é fácil, afinal de contas esse é o papel da oposição. É a única coisa que sabem fazer. Recomendo ao colega que também olhe e cobre dos governos estadual e federal. Vossa excelência tem um senador e um deputado federal e, mesmo assim, não conseguiu regularizar a situação do Viveiros, o máximo que fizeram por lá foi uma escola de pequeno porte”, disse.

O democrata ainda afirmou que o município vive uma realidade de plenitude sob a gestão do prefeito Colbert Martins Filho. O edil também destacou que o Governo Municipal tem investido muito e assim elevado Feira de Santana à condição de Região Metropolitana. “Realmente não sabemos o que Zé Filé quer. Se o secretário não comparece ele reclama, se vai visitar o bairro ele também reclama. Enquanto a oposição reclama, Colbert trabalha. Estamos construindo um CMDI no bairro Baraúnas, a cidade anda limpa e bem iluminada, obras na sede e nos distritos”, detalhou.

Em aparte, o vereador Zé Filé esclareceu que os seus aliados políticos têm contribuído bastante para o crescimento de Feira, através de emendas parlamentares. “O meu colega está mal informado. Eu tenho trazido emendas para o Município. O senador Otto Alencar já liberou R$ 600 mil para Feira e Otto Filho fez o mesmo. E só a nível de esclarecimento, o acesso ao Viveiros foi interditado sob autorização do seu ex-prefeito”, rebateu.

Ao concluir, Lulinha retrucou dizendo que a Prefeitura não teve participação na interdição. “A culpa não recai sobre a Prefeitura. Culpe o seu governo que privatizou as vias estaduais e federais. Bote a mão na consciência e analise os fatos”, finalizou.

 

Sessão Solene cancelada

 

A Câmara Municipal de Feira de Santana informa que a Sessão Solene em comemoração ao Dia Nacional da Cultura, de autoria do vereador Luiz Augusto de Jesus, que aconteceria na manhã da sexta-feira (29), foi cancelada.

 

Cadmiel Pereira rebate as críticas de Zé Filé

 

Após o vereador oposicionista José Menezes Santa Rosa – Zé Filé (PROS) – tecer críticas ao Governo Municipal e cobrar a conclusão de obras inacabadas da Prefeitura, o vereador Cadmiel Pereira (PSC) defendeu a atual gestão ao discursar na tribuna da Casa da Cidadania, durante a sessão ordinária desta terça-feira (26).

O parlamentar garantiu que a Prefeitura honra os seus compromissos, pagamentos e empréstimos, investe em mobilidade urbana e equipamentos que beneficiam toda a população, enquanto o Governo do Estado demonstra o “descompromisso com a cidade”. Ele criticou os argumentos do oposicionista que “defende o governo da ‘fila da morte’, da central de regulação e não tem a boa vontade de ver a evolução na área política. O vereador Zé Filé defende esse governo com altos índices de homicídios e da Embasa com 784 processos não resolvidos no Procon”.

Em aparte, Zé Filé garantiu a veracidade dos seus argumentos e explicou que se posiciona de forma contrária ao desvio de verbas e “ao dinheiro jogado fora que o nosso prefeito tem feito ultimamente”. De volta com a palavra, Cadmiel Pereira voltou a afirmar que o oposicionista apoia o “desgoverno do PT”, enquanto não existem provas contra o Governo Municipal.

Ainda na tribuna, o edil comunicou que aconteceu na manhã de hoje, a votação dos parlamentares para a seleção dos melhores órgãos e profissionais da imprensa de Feira de Santana que receberão o Troféu Arnold Ferreira da Silva no plenário da Casa.

Com informações da ASCOM Câmara Municipal de Feira de Santana
© Todos os direitos reservados. 2014.
Email: infocultural@infocultural.com.br
Painel Administrativo