Vencedor de prêmio nacional, poeta feirense vai ao RJ, com apoio da Fundação Egberto Costa » Eventos » Entretenimento » Infocultural

Vencedor de prêmio nacional, poeta feirense vai ao RJ, com apoio da Fundação Egberto Costa

Eventos - 05/12/2017
Vencedor de prêmio nacional, poeta feirense vai ao RJ, com apoio da Fundação Egberto Costa Solidade Lima participou do concurso junto com outros 240 candidatos Foto: SecomPMFS

Feira de Santana estará representada na premiação do 4º Concurso Literário Nacional Julio Salusse, promovido pela Academia Friburguense de Letras, no Rio de Janeiro. O feirense Solidade Lima foi o vencedor do prêmio na modalidade poesia. A Prefeitura Municipal, através da Fundação Egberto Costa, Funtitec, vai custear a ida do poeta para o evento, que acontece no dia 8 de dezembro, na Câmara Municipal de Nova Friburgo.

Solidade Lima participou do concurso junto com outros 240 candidatos, de 22 Estados brasileiros. O soneto é intitulado “Constelação de Sygnus” e foi escrito especialmente para essa disputa, produzido com base no poema “Cisne”, de Júlio Salusse. Para o poeta, o prêmio é uma constatação da primazia da produção literária de Feira.

“A Fundação Egberto Costa está sempre junto tentando auxiliando os artistas da terra.  E esse prêmio, é uma boa oportunidade tanto para minha carreira como também para a visibilidade da produção de Feira de Santana, já que este concurso é um evento de notabilidade nacional”, comemorou.
 
Começou a fazer poesia aos oito anos de idade

 

Feirense, egresso de escolas públicas de Feira de Santana, o poeta Solidade Lima começou a escrever poesias aos oito anos de idade depois que conheceu, na escola, a obra de Castro Alves. Aos 15 anos, com a chegada da puberdade, o artista explica que seus escritos tornou-se publicados já que “a rebeldia é uma máquina de fazer versos.

O artista publicou pela primeira vez no extinto Jornal Folha do Norte. Suas criações faz abordagens existencialistas “buscando o entendimento das grandes temáticas da vida” como a morte, por exemplo.

Para Solidade “o poeta é fundador de mundos” pois criar é refundar uma nova perspectiva de vida. Autor de quatro livros de poesias, o poeta está em processo de produção do seu primeiro livro de prosa, previsto para ser publicado ainda este ano.

Apoio “valoriza quem faz a cultura acontecer”, diz presidente da Fundação

 

“É uma forma de valorizar as pessoas que fazem a cultura acontecer”, diz o diretor-presidente da Fundação Egberto Costa, Antonio Carlos Coelho. Assim, assinala, o órgão vinculado a Prefeitura Municipal cumpre, “cada vez mais, nosso papel, que é fomentar a cultura feirense”.

Conforme o presidente, o prefeito José Ronaldo autorizou que a Fundação custeasse a ida de Solidade ao Rio de Janeiro tão logo foi comunicado do feito do poeta e da necessidade. “De pronto tomamos as providências”.

Coelho observa que é com recursos próprios, oriundos das atividades realizadas nos teatros que administramos, que a Funtitec tem conseguido levar artistas de Feira de Santana para diversos lugares do Brasil e até para fora do país para representar o município.

 

O soneto premiado de Solidade Lima

Constelação de Sygnus

Doces cisnes num lago, doces sinos
 nos lábios do vento… brincam brisas
 sob o sol que incandesce e que desliza
 pela pele do poente alabastrino…

Dois planetas humanos e divinos,
 dois cometas numa órbita precisa
 (o mundo num segundo paralisa)
 mergulham-se na luz de um só destino.

Mas da vida é o tempo atroz adaga;
 rasga o seio do sonho e o cisne vaga
 serrando as asas e subindo ao ceu.

À noite, quando uma estrela chora,
a lágrima de um cisne inunda a aurora
lembrando aquele amor que não morreu.

Secom/PMFS
© Todos os direitos reservados. 2014.
Email: infocultural@infocultural.com.br
Painel Administrativo