Mãe, pronto » Contos e Crônicas » Entretenimento » Infocultural

Mãe, pronto

Contos e Crônicas - 06/05/2011

 

 

 

Segundo domingo de maio, domingo outonal, Dia das Mães. Dia especificamente consagrado às Mães no mês que é de Maria e das noivas, também. Deixando à margem a visão dos interesses comerciais e financeiros da data, enveredei pelos caminhos do sentimento, dos sentimentos, posto que Mãe é uma imensidão dentro de outra imensidão: o Universo.

Segundo domingo de maio é dia de festa entre familias inteiras reunidas, repletas de Mães e não é coisa de classe média alta, somente, não. A massa também se une e se reúne para comemorar as Mães.

No Dia das Mães, mães lembradas todos os dias são reverenciadas, mães esquecidas(?!) são lembradas nesse dia. No Dia das Mães, há mães-sorriso terno e belo, há mães de todos os segredos, mães de intermináveis degredos, mães das lutas travadas todos os dias, desde o amanhecer, em casa, no campo, na escola, no escritório, no hospital, na creche, nas praças. E há prantos e sorrisos a mais no Dia das Mães.

Guerreiras, as Mães, guerrilheiras da história, são mulheres que pranteiam a ausência dos filhos por motivos fúteis, por trágicos motivos, mas, também, se alegram com os beijos e os abraços dos filhos presentes como presentes em festa. Mães que se sacrificam, que se crucificam como um cristo rebelde. Mães que não se sentem mães mas o são por um imperativo biológico. Mães arquitetas do mundo, mães operárias, mães que exercitam a liberdade como mulheres cidadãs, mães amadas, mães amigas, mães eternas, assim, como dona Zilda, minha Mãe, mães sem filhos biológicos, como Dadá, mas, cheia de filhos; mães como Iracema das Virgens, Edilza Conceição, Rita Silva, Magnólia Gomes, Fátima Catarina, Mônica, Simone e Noeme Brito, Isabela Borja,Tayjara Barreto, Tasla Carolina, Everilda Cunha, Vera Soares, Marhyster Oliveira, Miriam de Oliveira Sales, Fátima Oliveira, Graziela Lima, Maristela Moreira, a artesã de amor e vida Cristina Mainonis, Fernanda Oliveira, Maria Wagnar, Ediane Cunha, Lucinete e Luciana Rodrigues, Edjane Menezes, Leni David, Meiriara Cerqueira, Valquiria Maltez, Osvaldina,Tania Lima, Lindaura Santana, Polyana Ferreira. Rita de Cássia, Solange Gomes, Alice Nassif, Sandra Beatriz, Cláudia Schiavone, Nalva Khunn, Carol Carneiro, Yayá, Érika Marta, todas essas mães e outras tantas que todos os dias estão à nossa volta, estão sobre nós, como pedaço do infinito, a todas elas e às mães desconhecidas, mas, igualmente homenageadas neste 8 de maio de 2011, domingo outonal, parabéns.

E que saibam todos, que ainda hoje, somos espelhos e refletimos nossas mães. Então, a todas elas, dedico poesia, versos de amor e paixão, porque...

Toda Mãe tem alma de Cristo,

tem alma de festa

e sempre a sua luz nos empresta.

E sempre esta presente

na presente flor-presente

de querer se dar

e Ser...Mãe...

 

PARABÉNS,

 

Cezar Ubaldo

Professor, poeta, autor e diretor teatral

Cezar Ubaldo
© Todos os direitos reservados. 2014.
Email: infocultural@infocultural.com.br
Painel Administrativo