Derrota da dupla Bolsonaro/Guedes foi vitória do Brasil » Genaldo de Melo - Opinião que muda o mundo » Infocultural
Genaldo de Melo

Derrota da dupla Bolsonaro/Guedes foi vitória do Brasil

11/11/2019

O governo de Bolsonaro, que parece chefe de um grupo de políticos e empresários declaradamente neoliberais, coordenados por Paulo Guedes, sofreu a sua mais importante derrota, desde que assumiu o poder. Nenhuma das grandes empresas petrolíferas dos países do mundo capitalista teve interesse de participar do Leilão de transferência dos “excedentes de cessão onerosa" dos 04 campos de petróleo do pré-sal no litoral carioca.

O leilão foi pensado para transferir de fato as riquezas petrolíferas do país para empresas daqueles países que o "Capitão" presidente tem se alinhado politicamente nos últimos meses. Para surpresa de todos ninguém se interessou em participar, além da própria Petrobrás e duas empresas da China comunista, a CNODC e CNOOC.

Para se ter uma ideia mais clara do que estava em jogo, segundo os dados conservadores do próprio governo, foram leiloados cerca de 9,3 bilhões de barris de petróleo, num extraordinário valor de R$ 2,418 trilhões, o que gerará lucro líquido de R$ 667,36 bilhões em trinta anos.

Com a bagatela colocada pelo governo para leiloar tanta riqueza e sem que nenhuma das grandes empresas do petróleo se interessasse, uma luz se acendeu para se compreender que o governo brasileiro, sob a coordenação da dupla Bolsonaro/Guedes, não inspira nenhuma confiança daqueles que deveriam ser os grandes beneficiários do desmonte do Estado brasileiro.

Mas por que toda essa desconfiança já que se ganharia tanto dinheiro, mesmo que em longo prazo, com as riquezas brasileiras, se a dupla Bolsonaro/Guedes estipulou em apenas R$ 106 bilhões a entrega de tanto petróleo bruto? Aumenta ainda mais a estupefação porque se pagaria esse valor em apenas 4,7 anos, já que seriam R$ 22 bilhões de lucros por ano.

Alguns economistas podem dizer que foi a exigência para conquistar tantas riquezas de modo tão fácil que fez com que as empresas petrolíferas recuassem do leilão, pois foi colocado que todos os participantes tivessem que pagar antecipado mais dinheiro no início e menos no final de todo processo, através do “bônus de assinatura". Mas não foi exatamente isso que aconteceu!

Especulações as mais variadas possíveis sobre isso é um direto de todos. Mas o que ficou implícito em todo esse processo foi que todo mundo que quer ganhar dinheiro fácil no Brasil não confia no governo exagerado ideologicamente do “Capitão”, que não tem grupo político e nem estrutura de articulação política de longo prazo. E todo mundo sabe pelos últimos prognósticos do outubro rebelde, e agora Lula livre, que tudo pode ser revogado. A esperança é sempre a ultima que morre!

Genaldo de Melo